Mas existem dois livros de regras diferentes?

CAPEL marcou um golo fantástico, e já merecia um golito

Apostei com um amigo que seria Bruno Paixão o árbitro nomeado para este jogo de risco para o Sporting. Não só não me enganei, como se confirmou a tendência desta personagem muito pouco credível, de expulsar jogadores do Sporting, utilizando um critério curtíssimo para entradas mais duras dos leões. Noutras alturas, essas expulsões custaram pontos e consequentemente títulos, ao Sporting. Desta vez, o protagonista do costume fez questão de por o Sporting a jeito, para que o adversário pudesse exercer domínio e quem sabe dar a volta ao marcador. De forma heróica, os nossos jogadores evitaram mais uma previsível perca de pontos, lutando de forma incansável para evitar o golo do Vitória, sendo que até ao intervalo, e mesmo 10 contra 12, fomos superiores ao adversário. 

Pelo meio, ficaram vários cartões por mostrar, alguns da mesma cor do que foi mostrado a Rinaudo, mas aqui o critério já foi mais largo. Não me espantaria que tivesse assinalado grande penalidade naquele lance entre J.Pereira e Toscano na área, o que tornaria esta arbitragem ainda mais escandalosa.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Algo de inimaginável há 3 anos atrás

MERCENÁRIOS, é a palavra acertada