5 "bolachas" aos vikings para animar!


Subscrevendo o que disse Sá Pinto, a grande diferença deste jogo para o do Rio Ave, foram as bolas que entraram na baliza, até porque os problemas de organização ofensiva continuam lá, embora ache que o que o Sporting fez nos 4 jogos oficiais que jogou até agora, chegaria para vencer os 4. Mas no futebol o que vale, são os golos e as vitórias.

Seria preciso sorte, que é uma coisa que anda longe do nosso clube há muito, muito tempo. Lembro a época de 1999/2000, em que o o futebol praticado por vezes era muito fraco, mas a bola entrava, o Sporting ganhava 1-0, 2-1, e ia somando pontos, e com apenas um homem (Acosta com o seu "metro e meio" e os seus 32/33 anos) lá na frente. O Sporting sagrou-se campeão, com muito mérito, mas também com alguma sorte em momentos chave, e isso é fundamental para ter sucesso.

Ao ver este jogo com muita atenção a alguns pormenores, esquecendo um pouco a bola, e observando a concentração e movimentação de todos os jogadores, nota-se que esta equipa leonina precisa ainda de muito tempo para amadurecer, continuando órfã de um patrão, e só por aí percebo a teimosia da utilização daquele trio de médios de contensão, para compensar e irreverência de Carrillo e as "loucuras" de Capel, que perdem a bola em zonas proibidas, obrigando depois os médios a "trabalhos forçados".

Continuo no entanto a gostar bastante do desempenho da defesa, particularmente de Boulahrouz e Cédric, mas com Rojo a dar também muito boa conta do recado. Existem falhas, é claro, mas há na minha opinião muito maior consistência na forma como todos funcionam em conjunto, e menos sobressaltos que no passado. Vamos no entanto aguardar por jogos, que ponham esta defesa mais à prova.

Wolfswinkel já se viu que não é um ponta-de-lança "matador", mas não deixa de ser um excelente avançado, com muito boas movimentações a libertar companheiros e abrir espaços na defesa, disciplinado tacticamente, só não se pode pedir ao holandês que receba a bola, drible um ou dois jogadores e marque golo. Não podemos criar aqui mais um "estigma" tipo Postiga, com a consequente desvalorização de um jogador que custou vários milhões, mas que apesar de tudo vai marcando golos e ajudando a equipa. Ele precisa é de ser melhor servido pelos companheiros e de ter alguém com outras características que lhe faça concorrência ao lugar de titular indiscutível.

Pode ser que venha hoje o tal ponta-de-lança. Vamos aguardar.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Algo de inimaginável há 3 anos atrás

MERCENÁRIOS, é a palavra acertada