quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Carrillo em alta! Jeffren em baixa!


André Carrillo está em alta!

Este é um grande exemplo de como o futebol é imprevisível, e cada jogador se revela uma "caixinha de surpresas", tornando impossível fazer uma previsão do rendimento futuro de uma aquisição. Um jogador praticamente desconhecido, jovem com apenas 19 anos, internacional peruano, entrou uns minutos em campo, e logo contagiou tudo e todos com o seu futebol mágico e repentista, serpenteando entre os adversários, destemido e revelando sempre grande humildade em todas as suas intervenções, juntando ao que parece um grande profissionalismo e empenho no dia a dia da Academia leonina.

E o trabalho compensa. Depois de já ter deixado excelentes indicações a temporada passada, sendo um dos extremos mais utilizados, quer por Domingos, quer por Sá Pinto, respondendo com golos e boas exibições à aposta dos seus treinadores, apenas revelando alguma imaturidade em alguns momentos, própria da sua idade. Aproveitou, e de que maneira, os sucessivos problemas físicos de Jeffren e Izmailov, que seriam as primeiras escolhas para o lado direito do ataque.

Esta temporada, ainda com maior concorrência, com a chegada de Labyad e Viola, que podem actuar também na sua posição, é em Carrillo que tem caído invariavelmente a escolha de Sá Pinto, e o peruano responde com golos e bom futebol, sendo mesmo o jogador mais temido pelos adversários, pela forma actual em que se encontra e pela sua imprevisibilidade. Se Labyad e Viola não têm jogado, a culpa é principalmente de Carrillo, pois na esquerda o lugar parece entregue a Capel, ou não... pois com o Marítimo o espanhol ficou no banco para entrar Izmailov, e Carrillo jogou novamente.

Jeffren continua sem espaço na equipa

Contratação sonante da temporada passada, chegando do Barcelona e custando pelo menos 3 vezes mais que Carrillo, Jeffren rapidamente chegou e mostrou serviço, mostrando atitude, técnica, velocidade e até apontando golos, mas logo vieram os problemas musculares, que se prolongaram por toda a época, sem mais conseguir um lugar na equipa, pois nunca mais apareceu o Jeffren dos primeiros jogos de leão ao peito.

Parece-me um jogador frágil física e psicologicamente, e talvez esteja aí a razão da dispensa do Barça, por um preço tão acessível, tendo em conta que foi um jogador que fez parte do plantel principal do Barcelona, e com bastante utilização, apesar de ser segunda escolha.

Jeffren ou muda de atitude, aproveitando os poucos minutos que tiver para brilhar e ganhar o seu espaço, ou corre o risco de passar uma época inteira fora da equipa. Neste momento, quanto a mim, e neste sistema, não tem lugar na equipa principal, e percebo que para o seu "ego" seja complicado rodar na equipa B leonina, para ganhar ritmo competitivo.

É mais uma prova, que não é por comprar nomes sonantes, provenientes de grandes equipas e campeonatos, que há garantias de sucesso. O risco de apostar em jovens quer da Academia, quer provenientes da América do Sul, ou de Campeonatos como o holandês ou belga, a custos reduzidos, é muito menor, e no caso de sucesso a valorização dos seus passes é colossal. A compra de jogadores de renome, provenientes de grandes clubes europeus, deve ser feita ou a custo zero, ou por empréstimo, para não acontecerem casos como Pongolle, Bojinov, e outros, que lesaram e de que maneira, os cofres leoninos.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Época 2017-2018 | Jogo de Apresentação

Depois do Estágio na Suíça, onde as coisas correram dentro daquilo que é normal nesta altura, embora hajam sempre adeptos mais impacientes ...