sábado, 22 de setembro de 2012

Liga Europa também deu em empate


Está difícil de encontrar caminhos para as balizas contrárias e falta sempre qualquer coisa na hora de finalizar. Com um pouco mais de eficácia e ninguém estaria agora a falar em crise, pois quando uma equipa ganha, nem que seja a jogar pior, os comentários mudam logo de tom. Vai ser sempre assim no futebol...

Sá Pinto tem cometido alguns equívocos, mas as coisas também não estão assim tão más como querem pintar, e só no caso de Sá Pinto ter perdido capacidade de liderança do grupo de trabalho e a confiança dos próprios jogadores, é que vejo razões para troca de treinador.

O Sporting mostrou grande evolução com a introdução de Izmailov na zona central, melhorando imenso a qualidade nos últimos 30 metros, quer no passe, quer na capacidade de penetração na área contrária. Pena ter durado apenas os primeiros 25 minutos de jogo, onde o Sporting poderia ter pressionado muito mais o adversário em busca de um 1º golo que daria outra confiança à equipa. Elias teve nos pés esse golo, mas atirou por cima, depois de um passe de morte de Carrillo (desapareceu do jogo partir dos 25 minutos).

O facto do Sporting jogar com um bloco médio/baixo, e arriscar muito poucas vezes no pressing sobre a linha defensiva adversária, faz com que se criem muito poucas ocasiões de golo, e também com que o Sporting não sofra muito na sua defensiva. Isto resulta num jogo medroso, por vezes irritante, que faz com que a eficácia se torne fulcral e que estejamos um pouco dependentes da sorte do jogo. Ainda assim penso que se não fora a expulsão de Xandão, o Sporting acabaria por ganhar o jogo.

A falta de alternativa a Wolfswinkel está visível aos olhos de todos, mas a partir do momento que fechou o mercado, não podemos agora a andar sempre a lembrar esse facto, e temos sim que apoiar o holandês, pois precisamos que tenha confiança para melhorar a sua produção ofensiva, embora ele não possa fazer milagres, pois penso que o sistema 4-3-3, não favorece as suas características. Assobiem o homem, e depois admirem-se que acabe por desmotivar de vez, não se sentindo bem no clube, acabando por desvalorizar e ser vendido ao desbarato, ao jeito de Postiga...

Uma coisa não se pode apontar à maioria dos jogadores: falta de empenho. E como tal, nenhum deles merece os assobios que ouviram no final da partida. Paciência é coisa que não abunda em Alvalade, e é compreensível, mas temo que isso venha a ser a ruína do clube, pois nunca é dado tempo necessário para se construir uma equipa, que pode por vezes levar alguns anos, ainda para mais quando não há dinheiro.

Vamos ver se Segunda-feira damos definitivamente um pontapé no "Galo" em Alvalade.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Época 2017-2018 | Jogo de Apresentação

Depois do Estágio na Suíça, onde as coisas correram dentro daquilo que é normal nesta altura, embora hajam sempre adeptos mais impacientes ...