terça-feira, 9 de outubro de 2012

Com tanta "desvantagem" era impossível

Nervosismo inicial, confiança portista e campo inclinado, foram alguns dos factores que fizeram com que a missão do Sporting no Dragão fosse quase impossível.

Oceano colocou em campo uma equipa equilibrada, apenas não percebendo eu o porquê de Capel ter ficado de fora dos convocados, a não ser que estivesse condicionado. Carrillo e Rojo foram para mim elementos que não aguentaram a pressão de jogar um clássico como este, tendo o argentino feito o pior jogo que lhe vi fazer desde que chegou a Alvalade. Talvez ninguém lhe tenha dito que aquele campo está sempre "inclinado" para o lado azul e branco, e que tinha que se conter, acontecesse o que acontecesse.
A forma como Rojo faz aquelas faltas sucessivas, é claramente de alguém que ficou perturbado com o que se estava a passar dentro de campo, porque não foram só os penalties, foi toda uma arbitragem muito habilidosa, de um árbitro que eu até tinha alguma estima. Eles sabem quem não podem prejudicar, se querem ter "tranquilidade" e sucesso na sua carreira. Na dúvida, foi sempre a favor deles.


Se formos analisar o jogo pela estatística, maior caudal ofensivo, etc, o Porto seria o justo vencedor. Mas então por esse prisma, o Sporting teria que ter vencido as primeiras 5 jornadas, pois foi sempre superior aos seus adversários, e com um pouco mais de eficácia hoje se calhar veríamos a época com outros olhos. Mas o futebol é isto mesmo, eficácia, competência, mas também alguma sorte ou azar. Uma exibição exactamente igual com golos e vitória, é interpretada de forma diferente se a bola não entrar na baliza, por vezes por escassos centímetros  Com melhor eficácia dos jogadores do Sporting em jogos anteriores, e Sá Pinto seria neste momento o treinador do Sporting.

No período em que o Sporting parecia poder ameaçar a vitória dos Dragões, que pareciam adormecidos, e em que se verificou um ascendente leonino, eis que apareceu o Sr. Sousa a inventar e a arrumar de vez com os leões, sem dó nem misericórdia, um pouco à semelhança do que aconteceu na temporada passada, no mesmo estádio, com o Sr. Proença.

O Sporting tem de uma vez por todas, que abraçar um projecto a médio prazo, escolhendo pessoas de competência reconhecida, ás quais lhes seja dado tempo suficiente para desenvolver as suas ideias e formar uma equipa com bases sólidas, que não se desmorone a qualquer circunstância negativa que vá surgindo.

Os sócios e adeptos sportinguistas têm aqui um papel fundamental, pois isto apenas depende deles, pois são eles que escolhem as pessoas que querem ver à frente dos destinos do clube. O problema é que qualquer que seja a lista de pessoas que ganhe as eleições, é contestada mal os resultados menos bons começam a aparecer, independentemente se no passado essas pessoas ganharam e mostraram competência. Se são competentes, não deixaram de o ser se a bola não entra na baliza. Ninguém é perfeito, nunca iremos conseguir ter um corpo directivo perfeito, e rejeito ter ao serviço do clube, alguma vez, pessoas do calibre do presidente do clube que quase tudo ganhou nos últimos anos. Por vezes a linha entre o sucesso e o insucesso, é muito ténue, e todos os factores contam, e se é certo que o nosso clube conquistou poucos títulos nos últimos anos, também é verdade que não conquistou mais alguns porque não o deixaram. Os outros também cometem muitos erros, só que são compensados das formas que todos nós sabemos. Depois a vitórias puxam vitórias, e as derrotas causam instabilidade. Quem ganha é que é bom, quem perde é incompetente, e esquece-se de todo o processo que conduziu ás vitórias. Eu rejeito esta forma de pensar.

Se o Sporting está como está, a culpa é também dos seus sócios e adeptos, que teimam em andar sempre em guerras e divisões entre eles, em vez de se unirem de uma vez por todas num só objectivo. Principalmente desde da época 2002/2003, e a inauguração do novo estádio, que essa divisão se tem acentuado, onde até a maior claque e para muitos a melhor de Portugal, se dividiu. 

Não me revejo nesta nova forma de "sportinguismo", onde todos "ralham" e ninguém tem razão. As sucessivas direcções que têm passado pelo Sporting, foram eleitas pelos sportinguistas. Se querem outro rumo para o clube, façam-se sócios, paguem as cotas e nas eleições mostrem a vossa insatisfação. O Sporting não pode andar sempre neste clima de divisão, sob pena de caminhar inevitavelmente para o "abismo". 

Sem comentários:

Enviar um comentário

PES 2018 | Kits do Sporting CP 2017-2018

Como não encontrei em mais lado nenhum resolvi fazer os kits do Sporting e partilhar convosco. Não estão perfeitos, mas para já desenrascam....