Colocando-me no lugar de Leonardo Jardim (1ª Parte)

 
 
Tentando colocar-me "na pele" de Leonardo Jardim e da estrutura de futebol que o acompanha, existem processos complicados de se resolver, embora não seja por falta de jogadores que o Sporting não terá um plantel digno na próxima época. Sou apologista de uma redução drástica nos gastos com salários dos jogadores e ao que parece os técnicos leoninos terão mesmo quer ter isso em conta, pois Bruno de Carvalho estabeleceu um tecto salarial (na ordem dos 500 mil euros anuais, segundo consta), até porque já se viu que existe no SCP jogadores cujo rendimento e atitude em determinados momentos, não mereciam nem metade desse valor, para além dos problemas de tesouraria causados pelos elevadíssimos salários negociados pelos anteriores responsáveis. Compreendemos agora, como o Sporting conseguiu ganhar a corrida a alguns clubes na hora de assinar contractos, pois com salários destes...

Elevados salários podem conduzir a saídas indesejadas
 
Existe um conjunto de jogadores que pelos seus elevados salários, para não falar de eventuais prémios e aumentos graduais/anuais, que em alguns casos assumem contornos de escandalosos, como foi o de Elias e eventualmente também de outros jogadores (a continuidade de Labyad é também uma incógnita, devido a esse mesmo factor), serão por isso mesmo jogadores que o Sporting quererá ver-se livre, ou então renegociar os seus contratos, embora não acredite que estes queiram renovar a ganhar menos...
 
Um plantel curto de 22 jogadores no máximo
 
Havendo Sporting B, não será necessário ter 25/26 jogadores no plantel principal como em outras temporadas, e até mesmo 20 chegariam, com os jogadores menos utilizados a rodar na equipa B. Os jogadores do plantel principal têm que perceber que só têm a ganhar rodando na equipa B quando não jogam com regularidade na principal, e que não é desprestígio nenhum. A contratação desenfriada de jogadores por parte de Carlos Freitas e seus pares, fez com que houvesse jogadores contratados que nem na equipa B acabaram por conquistar um lugar (Patinho, Chetri, etc...), pois os nossos miúdos da Academia cedo mostraram que eram muito superiores em qualidade. Em Portugal continua a mania de que, o que é nacional é menos bom e que no estrangeiro é que estão os craques, para não falar das famosas comissões...
 
Começando pelos Guarda-redes
Na eventualidade (e é bem provável) da saída do melhor guardião português, Rui Patrício, a baliza ficaria muito bem entregue a Marcelo Boeck, ficando ainda o Sporting com Golas e Luís Ribeiro, que muito boas indicações deu ao serviço da equipa B leonina. Nunca percebi o empréstimo de Ventura, e penso que serão sempre de evitar negócios destes com um clube como o Porto (depois admiram-se que no Dragão se saiba tudo o que passa dentro do Reino do Leão...), pois penso já existirem indícios mais do que suficientes de que não estamos a lidar propriamente com "anjinhos". Dois guarda-redes chegariam, pois temos a equipa B.
 
Para as laterais existem Jefferson e os emprestados...
 
Se na lateral direita estamos bem servidos, com Cédric, Arias, Miguel Lopes (deverá sair?), e ainda os polivalentes Esgaio e Eric Dier, para qualquer eventualidade, já na esquerda há ainda muitas dúvidas, embora a contratação quase garantida de Jefferson ao Estoril, venha tapar essa lacuna, ficando a dúvida acerca do concorrente ao lugar, já que Joãozinho deverá regressar a Aveiro. Se olharmos para os emprestados encontramos opções baratas: Turan, Evaldo, e ainda o Argentino Grimi...
 
Será necessário adquirir um central de categoria
 
No caso das saídas de Boulahrouz e Rojo, pelos motivos salariais que atrás referi, o Sporting terá de encontrar no mercado pelo menos um central de créditos firmados e já alguma esperiência, bem como promover mais um jovem, onde Fokobo e Tobias Figueiredo podem ter uma oportunidade, visto que Pedro Mendes não irá renovar. Acho que Ilori deverá agarrar um dos lugares, tendo a forte concorrência de Eric Dier que no entanto também pode ser utilizado a médio ou lateral. Parece-me de extrema necessidade encontrar um Central forte no jogo aéreo e que se imponha como patrão da defesa, ao estilo de Onyewu, mas mais veloz, que não deverá regressar também devido ao elevado salário que aufere. Há no entanto clubes interessados em Ilori...
 
...(continua brevemente)...

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Algo de inimaginável há 3 anos atrás

MERCENÁRIOS, é a palavra acertada